Contratar ou não uma “estrela”?
Contratar ou não uma “estrela”?
Posted by

Contratar ou não uma “estrela”?

 

 

O que o empresário deve avaliar, quando for contratar qualquer profissional para o seu negócio, é o quanto essa contratação agregará de valor à sua lucratividade.

Quando se fala de uma “estrela”, normalmente, os donos de salões pensam em algo pejorativo, pois se lembram daquele profissional que tem seu ego altamente inflado e a plena certeza de que o mundo gira ao seu redor. Já para a classe profissional, a “estrela” é aquele cabeleireiro bem-sucedido, com técnica aprimorada e formador de opinião. Onde ele está, lá estão os clientes bem-sucedidos e, acima de tudo, com dinheiro!

Normalmente, esse profissional exige condições especiais para trabalhar: alto percentual sob seu faturamento, poucas obrigações e muito “estrelismo”. Às vezes, inclusive, exige que seu nome esteja escrito na fachada do salão de beleza. Nesse caso, tal profissional deveria dar um enorme retorno ao negócio, tanto em termos de público, quanto em termos de rentabilidade e faturamento. Porém, de fato, nem sempre é assim.

Normalmente, o egocentrismo de uma “estrela” cria uma ilusão para todos aqueles investidores que não possuem conhecimento e vivência no ramo de beleza, o que, aliás, é muito comum.

A maioria daqueles que se aventura no ramo de salões de beleza, nem sequer faz uma consulta ou pesquisa mercadológica orientada por profissionais

especializados no negócio. Portanto, são empresários que não fazem a mínima ideia do que irão enfrentar em relação à tecnologia do setor, à competitividade, ao comportamento jurídico-legal com os profissionais a serem contratados etc.

Na verdade, são raros os proprietários de um salão de beleza que têm sucesso

no empreendimento. Em nossa consultoria, constatamos que uma grande parte desses investidores não somente perde o que investiu, como acaba endividando-se a tal ponto de ter de vender seu negócio por um preço irrisório. O que abre, sem dúvida, excelentes oportunidades para os verdadeiros empresários do ramo.

Aí, sim, se encontram as verdadeiras “estrelas” do negócio! São todos aqueles

empreendedores que, conhecendo ou não a técnica, fazem do salão de beleza uma real fonte de renda e lucro, além, é claro, de um prazer.

O que o empresário deve avaliar, quando for contratar qualquer profissional para o seu negócio, é o quanto essa contratação agregará de valor à sua lucratividade. Atenção: estamos nos referindo ao lucro e não ao faturamento,

Pois, muitas vezes, um faturamento alto é totalmente corroído pelas regalias oferecidas à equipe de trabalho. E o empresário não vive de “estrelismo” e

sim de lucro.

Nunca devemos focar somente o faturamento, mas também e, especialmente, o lucro líquido que será obtido. Existe uma regra básica que não se pode deixar de lado em nenhum negócio, seja ele qual for: NUNCA, mas NUNCA mesmo, deve-se deixar a receita da empresa  concentrada em uma única fonte de ganho. No caso do salão de beleza, em um só cabeleireiro.

Se, ao contratar uma “estrela”, o empresário tiver um upgrade em seu

faturamento, certamente, será uma boa contratação. Porém, ainda assim, nossa sugestão é que ele, imediatamente, inicie um processo para que sua equipe aumente de modo geral o próprio faturamento. Se o salão de beleza faturar R$ 20.000,00 e tiver um profissional que fatura R$ 5.000,00, imediatamente deve pensar em como irá aumentar seu faturamento global para R$ 50.000,00, pois, desse modo, poderá criar um equilíbrio no percentual de participação de cada profissional, correndo menos riscos.

Muitos são os salões de beleza que caem na “armadilha da estrela”! Na realidade, no mercado existem muitas “estrelas” que, de fato, merecem esse status, pois são profissionais que agregam faturamento ao salão de beleza, fazem a diferença em termos de técnica e talento, mantêm coesão na equipe e transformam seu trabalho em lucro individual e empresarial. Estas, sim, são as “Verdadeiras Estrelas” do mundo da beleza, que garantem a satisfação e a fidelidade dos clientes, tornando-se parceiros dos empresários que enveredam nesse ramo de negócios.

 

Rui Mendes é consultor da  Negócios e Beleza  www.negociosebeleza.com.br 

 

Comments

comments

0 Comentários desativados em Contratar ou não uma “estrela”? 2231 01 janeiro, 2013 Liderança e Pessoal, Rui Mendes janeiro 1, 2013
Rui Mendes

About the author

Rui Mendes - Negócios e Beleza – www.negociosebeleza.com.br

View all articles by Rui Mendes

Pesquisar

Parceiros

Cursos

Facebook